Já falamos sobre a Copa Libertadores da América. Nela, já há um pequeno trecho que conta a história do Campeonato Sul-Americano de Clubes Campeões, explicando que essa competição foi a precursora do maior torneio entre clubes da América do Sul.

Mas, vamos mais a fundo. 

Afinal, o Sul-Americano é a primeira Libertadores da história? É um torneio qualquer sem a mínima relevância? É oficial? É um título de segundo escalão como a Copa Sul-Americana?

ESSAS E OUTRAS PERGUNTAS QUE ESPERO DEIXAR CLARO NESTE POST.



Revista oficial da competição.



Afinal, o que foi o Sul-Americano de Clubes Campeões?

O Sul-Americano foi um torneio criado pelos dirigentes do Colo-Colo em 1948 com o propósito de reunir todos os campeões nacionais da América do Sul e ver qual era a equipe mais forte do continente. 

De quem foi a ideia desse torneio? 

O embrião desse projeto foi ideia de dois dirigentes do Nacional-URU: Roberto Espil e José Usera Bermudez, em 1929. Eles tinham em mente formular uma competição continental que reunisse todos os campeões nacionais. Porém, a ideia não foi a frente e acabou por ser arquivada. Em 1946, o mesmo Roberto Espil começou a analisar novamente o projeto e após fazer alguns estudos sobre a distância e geografia do continente chegou a conclusão de que era totalmente viável a inclusão também dos vice-campeões nacionais. Porém, quem pôs o projeto a frente foi o presidente do Colo-Colo, Robinson Alvarez Marín.

A CONMEBOL teve algum envolvimento com esse torneio?

Sim! Apesar do torneio não ter sido criado ou organizado pela CONMEBOL, ela foi quem deu o aval para ser realizado, além de apoiar totalmente a ideia de Marín.


A CSF deu total apoio para a realização do Sul-Americano.
(Clique na imagem para ampliá-la)



Quais foram os participantes da competição? 

Colo-Colo (Campeão Chileno - 1947)
Nacional (Campeão Uruguaio - 1947)
River Plate (Campeão Argentino - 1947)
Litoral (Campeão Boliviano - 1947)
Municipal (Vice-Campeão Peruano - 1947)
Emelec (Campeão de Guayaquil - 1946 e 1948)*
Vasco da Gama (Campeão Carioca - 1947)

*Em 1948 não existia Campeonato Equatoriano e o principal torneio do Equador era o Campeonato de Guayaquil, que não se realizou em 1947.

Participantes do Campeonato Sul-Americano de Clubes Campeões.
Fonte: Netvasco

E por que o Vasco foi o representante brasileiro? 

Antes de tudo, para se entender melhor os critérios, é necessário que se entenda que na época não existia um torneio nacional (o primeiro campeonato nacional brasileiro, a Taça Brasil, começou em 1959) e não existia sequer um torneio regional no Brasil (o Torneio Rio-São Paulo apenas teve a edição de 1933 - houve uma edição incompleta em 1940 - e depois só veio a ser disputado novamente em 1950). Ou seja, os únicos campeonatos oficiais que haviam regendo no Brasil eram os campeonatos estaduais.

Então o Vasco foi o chamado para representar o Brasil por ter vencido o Campeonato Carioca de 1947.

E por que o estadual escolhido foi o Carioca? Não é injustiça com os demais estaduais?

Por dois simples motivos:

1º - O Rio de Janeiro era a capital federal do Brasil em 1947, logo tinha o estadual mais valorizado do país. Para os estrangeiros, o Campeão Carioca era o melhor time do Brasil.

2º - O Rio de Janeiro foi o último campeão do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais. Em 1947 não houve edição, mas em 1946, sim, e o Rio de Janeiro (tendo o time do Vasco como base) se sagrou campeão em cima da seleção Paulista. Além disso, de 1943 a 1950 apenas o Rio de Janeiro sagrou-se campeão nesta competição. Por isso, de fato, o Campeonato Carioca era o estadual mais forte do Brasil na época e seu campeão o melhor time do país.

 Página da RSSSF explicando o motivo do Vasco ter sido o representante brasileiro no Sul-Americano de 1948
(Clique na imagem para ampliá-la)




 Tabela dos campeões do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais
(Clique na imagem para ampliá-la)


 Breve resume sobre o que foi o Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais
(Clique na imagem para ampliá-la)

  
E, como se isso não fosse suficiente, o Vasco era a base da Seleção Brasileira na época.

Pelos critérios existentes na época, não havia como se chamar outro time. Ninguém merecia mais essa vaga do que o Vasco.


 O Expresso da Vitória era o melhor time do Brasil na época.
(Clique na imagem para ampliá-la)

 O Vasco cedeu 8 jogadores mais o técnico Flávio Costa em 1950. O dobro que o segundo time que mais cedeu naquele ano: o São Paulo
(Clique na imagem para ampliá-la)


Qual era a forma de disputa do torneio?

O Sul-Americano tinha uma fórmula simples. Todos os clubes se enfrentariam em turno único em um campeonato por pontos corridos. Quem somasse mais pontos ao final do campeonato se consagraria campeão do torneio. Caso duas ou mais equipes empatassem em número de pontos, todos seriam considerados campeões.

Em quais estádios foram disputados os jogos?

Todos os jogos da competição foram disputados no mesmo estádio, o Estádio Nacional de Chile, em Santiago.

Qual foi o primeiro jogo da competição?

O primeiro jogo foi Colo-Colo 2 x 2 Emelec, no dia 11 de fevereiro de 1948.


Qual foi o primeiro jogo do Vasco na competição?

O primeiro jogo do Vasco ocorreu três dias depois. O resultado foi Vasco 2 x 1 Litoral.


Qual foi a campanha do Vasco na competição?


O Vasco foi o campeão do torneio, tendo sido a equipe que somou o maior número de pontos. O clube de São Januário foi campeão de maneira invicta com 4 vitórias e 2 empates. O time somou 10 pontos* ao todo, um a mais que o vice-campeão, River Plate.

*Na época, cada vitória valia 2 pontos e empate 1.


TODOS OS JOGOS
 
Tabela: Netvasco



CLASSIFICAÇÃO FINAL


Tabela: Netvasco




ESTATÍSTICAS 

Tabela: Netvasco


O título teve importância na época?


Com certeza! O torneio foi tratado do início ao fim como algo de grande importância e acompanhado com muito almejo por todos os torcedores brasileiros, não apenas os vascaínos. A relevância do campeonato era enorme, sendo tema principal das colunas esportivas do Jornal do Brasil diversas vezes. Os campeões também foram recepcionados e homenageados de uma forma nunca vista antes no futebol brasileiro. Com certeza foi um marco que trilhou o Brasil no caminho para ser um potência internacional.

 Jornal do Brasil comenta a expectativa da delegação vascaína na sua estreia em um campeonato deste porte.
(Clique na imagem para ampliá-la)


Jornal do Brasil exalta o torneio ao comentar a vitória vascaína sobre o Nacional-URU
 (Clique na imagem para ampliá-la) 


Jornal do Brasil já comentava a ansiedade que os torcedores sul-americanos tinham no futuro confronto entre Vasco e River Plate, as duas melhores equipes das Américas em 1948 e prevendo que seria um jogo que ficaria para a história.
(Clique na imagem para ampliá-la)


Jornal do Brasil exalta a conquista vascaína destacando que o dia 14 de março de 1948 tenha entrado para a história do desporto brasileiro e realça a importância que o campeonato tinha no continente americano.
(Clique na imagem para ampliá-la)

Jornal do Brasil destaca as festas nas ruas para recepcionar os então herois brasileiros, os campeões sul-americanos que trouxeram o primeiro título internacional conquistado no exterior por uma equipe brasileira, incluindo a Seleção.
(Clique na imagem para ampliá-la)

Jornal do Brasil publica carta da Associação Brasileira de Imprensa que felicita o título vascaíno.
(Clique na imagem para ampliá-la)


Jornal do Brasil publica carta da Confederação Brasileira de Pugilismo parabenizando e homenageando o título do Vasco, mostrando que essa conquista ultrapassou as barreiras do futebol, chegando a todo o desporto nacional.

Jornal do Brasil publica uma homenagem do clube Sociedade Esportiva Palmeiras, campeão paulista de 1947 ao Club de Regatas Vasco da Gama por seu título sul-americano, exaltando seu feito no exterior.
(Clique na imagem para ampliá-la)

Luta Livre no dia teria um card especial para homenagear os vascaínos, recém-campeões sul-americanos.
(Clique na foto para ampliá-la)


Luta Livre no dia teria um card especial para homenagear os vascaínos, recém-campeões sul-americanos.
(Clique na foto para ampliá-la)

Jornal do Brasil põe em questão se a qualidade do futebol brasileiro já era a maior da América do Sul e reafirma a legitimidade do título vascaíno de acordo com sua campanha na competição.
(Clique na foto para ampliá-la)


Jornal do Brasil desmentindo a declaração do jogador Ramos, do River Plate, que teria dito que sua equipe não venceu por falta de sorte ao ter sido superior em campo. O jornal lembra que o Vasco obteve as melhores oportunidades durante a partida, inclusive tendo um gol legítimo mal anulado.
(Clique na imagem para ampliá-la)

Jornal do Brasil, 2 dias após a conquista, afirma que o título vascaíno continua sendo o assunto esportivo mais comentado do país. O jornal realça a importância do título e o quanto os campeões estavam sendo exaltados por seu grande feito.
(Clique na imagem para ampliá-la)

Jornal do Brasil cita o sucesso que foi o torneio no Chile, tendo excelentes públicos e destacando que a renda total ao final do torneio gerou lucros ao organizador da competição, o Colo-Colo.
(Clique na imagem para ampliá-la)


 A primeira página do Jornal dos Sports no dia seguinte ao do título. Manchetes: "Recebamos os vascaínos como autênticos heróis de uma jornada sem precedentes"; "Partiram para a vitória e venceram!"; "Que todos acorram ao aeroporto!"; "Vozes do esporte louvam a conquista sensacional"; "No Galeão às 17,30 e no aeroporto uma hora depois". Fonte: Netvasco

 Primeira página do Jornal dos Sports comenta a vitória vascaína em cima do Nacional, campeão uruguaio "Vitoria! Soberbo feito do Vasco sobre o Nacional".

 O jornal 'A Gazeta Esportiva' destaca o título vascaíno em sua capa.
(Clique na imagem para ampliá-la)


 Recepção aos campeões e comemoração no Rio de Janeiro. Fonte: Netvasco


Recepção aos campeões e comemoração no Rio de Janeiro. Foto: Netvasco


 





Recepção aos campeões e comemoração no Rio de Janeiro. Foto: Netvasco
 
 
 
Recepção aos campeões e comemoração no Rio de Janeiro. Foto: Netvasco


O título é oficial? 

Sim. Apesar do título sempre ter sido valorizado em São Januário, o Vasco nunca lutou pelo reconhecimento e oficialização da competição até 1996. Neste ano, porém, a própria CONMEBOL lançou um livro chamado "30 Años de Pasión y Fiesta" e nele contava sua história. Em um capítulo em especial ao comentar sobre a criação da Copa Libertadores, a federação admitiu que o Sul-Americano foi o torneio embrião, que surgiu de inspiração para se criar a maior competição das Américas. A partir disso, o Vasco lutou pelo reconhecimento do seu título perante a CONMEBOL, com interesse em disputar a Supercopa Libertadores (no qual apenas campeões da Libertadores poderiam disputar). A questão foi colocada em votação para todos os representantes das confederações sul-americanas. E o reconhecimento foi aceito, só não sendo unânime, pois o representante brasileiro Michel Assef (na época, dirigente do Flamengo) votou contra. Como a tabela da Supercopa de 1996 já estava formada, a CONMEBOL deu uma vaga da Copa Conmebol ao Vasco. No ano seguinte, na última edição da Supercopa, o Vasco foi um dos participantes (acabou eliminado pelo River Plate).


O placar eletrônico de São Januário há vários anos possui a frase "1º CAMPEÃO SUL AMERICANO INVICTO" em clara referência ao título de 1948.



 Troféu Condor sempre esteve centralizado na sala de troféus de São Januário, representando a importância que o clube sempre deu para esta conquista. 


 Página na Wikipédia mostra que só participava da Supercopa os campeões da Libertadores, porém em 1997 a CONMEBOL incluiu o Vasco na disputa.
(Clique na imagem para ampliá-la)


 Tabela da Supercopa de 1997 ilustra bem que apenas campeões da Libertadores e o Vasco com seu Sul-Americano poderiam participar. 
 (Clique na imagem para centralizá-la)


A página específica da Supercopa de 1997 reforça a relação Sul-Americano-Libertadores
(Clique na imagem para ampliá-la)


Página da RSSSF é mais uma que confirma a participação do Vasco no torneio dos campeões da Libertadores em 1997.
 (Clique na imagem para ampliá-la)


Cópia do documento oficial da Confederação Sul-Americana de Futebol que atende o pedido vascaíno em oficializar o título de 1948 e incluir o Vasco entre os participantes da Supercopa Libertadores.
(Clique na imagem para ampliá-la)


Participação vascaína na Copa Conmebol de 1996 como "prêmio de consolação", já que não se podia mais alterar a tabela da Supercopa daquele ano e que o clube cruzmaltino só faria parte no ano seguinte.
 (Clique na imagem para ampliá-la)


Mais uma declaração oficial da Confederação Sul-Americana de Futebol acatando a solicitação vascaína.
(Clique na imagem para ampliá-la)


Como a mídia brasileira trata o Sul-Americano de 1948?

Importantes portais de comunicação esportiva produzem matérias onde, de uma forma ou de outra, acabam lembrando o título vascaíno.

Alguns exemplos:

"Em 1948 foi disputado o Campeonato Sul-americano de Clubes Campeões em Santiago, Chile. O torneio contou com a participação de campeões nacionais da Argentina (River Plate), Chile (Colo-Colo) e Uruguai (Nacional); campeões regionais: Deportivo Litoral (La Paz – Bolívia) e Vasco da Gama (Campeonato Carioca); além da participação do vice-campeão peruano (Deportivo Municipal) e do Emelec do Equador como convidado. O Vasco da Gama venceu a competição disputada com todas as equipes se enfrentado em turno único.

O Campeonato Sul-Americano de Campeões é considerado pela Conmebol o embrião da Libertadores. Em 1996 a entidade sul-americana reconheceu o título vascaíno para que o Clube, permitindo a inclusão do clube carioca na Supercopa dos Campeões da Copa Libertadores, torneio extinto em 1997.

Nos primeiros anos, participavam da Copa Libertadores da América apenas os campeões nacionais dos países. Na primeira edição, em 1960, participaram os campeões de sete países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Paraguai e Uruguai. O Peñarol se sagrou campeão contra o Olímpia do Paraguai."


(Clique na imagem para ampliá-la)


 (Clique na imagem para ampliá-la)


(Clique na imagem para ampliá-la)


(Clique na imagem para ampliá-la)


(Clique na imagem para ampliá-la)


 Jornalistas conceituados como PVC confirmam o título sacramentado.
(Clique na imagem para ampliá-la)



Jornalistas conceituados como Juca Kfouri até computam o Sul-Americano como uma Libertadores.
(Clique na imagem para ampliá-la)


Novamente Juca Kfouri. Desta vez, relatando o lançamento do livro "Um Expresso Chamado Vitória" que conta a trajetória deste vitorioso esquadrão vascaíno dos anos 40 que teve como auge a conquista do Sul-Americano de Clubes Campeões.
(Clique na imagem para ampliá-la)


Jornalistas conceituados como Mauro Beting tratam o Vasco como bi-campeão Sul-Americano.
(Clique na imagem para ampliá-la)

*Errata: Mauro, em sua postagem, citou os anos de 1948 e 1988 onde o Vasco teria conquistado a América. Na realidade, o ano em que o Vasco se sagrou campeão da Copa Libertadores da América foi em 1998, podendo ter sido, na verdade, apenas um erro de digitação ao invés de uma informação equivocada.


Matéria no Globo Esporte explica a criação da Copa Libertadores da América, contando a história do Sul-Americano.









Pessoas de fora do Brasil sabem da existência do Sul-Americano?

Sim! Apesar de não ser um título propagado aos quatro cantos do mundo, muitos torcedores e clubes que não são brasileiros conhecem o Sul-Americano de 48. Principalmente torcedores e/ou clubes que participaram da competição. Incluem-se também estudiosos que pesquisaram a respeito da história da Copa Libertadores.


 Alguns exemplos:

 Emelec
(Clique na imagem para ampliá-la)


 Fórum de torcedores do River Plate 
(Clique na imagem para ampliá-la)


Municipal
(Clique na imagem para ampliá-la)


Site argentino Perfil.com conta como o River perdeu o título e a oportunidade de se sagrar o primeiro campeão da América.
(Clique na imagem para ampliá-la)



 Pesquisador contando a história da Copa Libertadores.
(Clique na imagem para ampliá-la)



Municipal
(Clique na imagem para ampliá-la)


Arquivo PDF do boletim oficial do Clube Nacional de Football, do Uruguai. Publicação de junho de 2007. Revista número 32.
(Clique na imagem para ampliá-la)


 Site oficial do Colo-Colo
(Clique na imagem para ampliá-la)


Outra publicação do Colo-Colo
(Clique na imagem para ampliá-la)



O Sul-Americano é contabilizado em algum ranking de títulos?

Sim! Em muitos rankings de títulos o Sul-Americano é contado com tanto peso quanto a Libertadores ou com uma importância bastante similar. Em geral, maior do que qualquer competição continental secundária. 


Alguns exemplos:

Ranking da Placar diz que o Sul-Americano vale tanto quanto uma Libertadores.
 (Clique na imagem para ampliá-la)



A IFFHS coloca o Sul-Americano como a segunda maior competição da América, atrás apenas da Copa Libertadores. 
 (Clique na imagem para ampliá-la)



 O site "Ranking de Clubes" considera o Vasco com duas conquistas da Copa Libertadores.


 A RSSSF também contabiliza o Cruzmaltino com 2 conquistas da Copa Libertadores. E deixa claro em sua página o motivo de contabilizar assim: "* Vasco da Gama winner of "Copa de Campeones 1948". CSF accepted this title = Copa Libertadores."


 Qual a influência do torneio fora da América do Sul?

O Sul-Americano também inspirou a criação da UEFA Champions League, como afirma o site http://www1.ionline.pt/


"É a Taça/Liga dos Campeões, que alimenta paixões em toda a Europa. E que começou há 55 anos. Por obra e graça de um jornalista francês do "L''Équipe". 

Jacques Ferran foi enviado especial ao campeonato sul-americano dos campeões, em Santiago do Chile, no ano 1948. O Vasco da Gama, campeão carioca, ganhou a primeira edição a outros seis clubes e Jacques Ferran elogiou a competição de tal maneira que aconselhou um módulo igual na Europa. O director do "L''Équipe", Gabriel Hanot, apresentou a ideia à UEFA numa carta em Dezembro de 1954 mas esta recusou, argumentando que estava mais preocupada com um campeonato de selecções, já existente na América do Sul desde 1916. Gabriel Hanot insistiu na ideia e a UEFA deu-lhe então carta branca para planificar o que quisesse. Foi aí que o "L''Équipe" tomou as rédeas da Taça dos Campeões Europeus
"

Página na Wikipédia cita o Sul-Americano como principal inspiração para a criação da UEFA Champions League.
(Clique na imagem para ampliá-la)



A FIFA reconhece o Sul-Americano? 

Sim! Na página oficial do Vasco na fifa.com, o Sul-Americano é citado duas vezes nos relatos da história do clube cruzmaltino. Na página "Pioneiros de São Januário", o Sul-Americano é lembrado nas citações "Fazendo jus à carreira do explorador que lhe emprestou o nome, o clube carioca também se destacou por um forte pioneirismo, derrubando barreiras raciais no Brasil do início do século 20 e tornando-se o primeiro campeão sul-americano da história." e também "o clube acrescentou mais cinco títulos estaduais à coleção e ainda conquistou o Campeonato Sul-Americano de Campeões, uma competição de pontos corridos e turno único que só foi disputada em 1948 e é reconhecida pela CONMEBOL como a precursora da Copa Libertadores." Ainda na página em inglês do Vasco, "Pioneers of the Sao Januario", o Sul-Americano está incluído entre as principais conquistas vascaínas:  

"Honours
* 1 South American Club Championship: 1948
* 1 Copa Libertadores: 1998
* 1 Copa Mercosul: 2000
* 4 Brazilian Championships: 1974, 1989, 1997, 2000
* 3 Rio-Sao Paulo Tournaments: 1958, 1966, 1999
* 22 Carioca State Championships: 1923, 1924, 1929, 1934, 1936, 1945, 1947, 1949, 1950, 1952, 1956, 1958, 1970, 1977, 1982, 1987, 1988, 1992, 1993, 1994, 1998, 2003."

FIFA lembra reconhecimento do Sul-Americano como embrião da Libertadores pela CONMEBOL.

Página imcompleta do Vasco em português cita os títulos, entre eles o Sul-Americano.
(Clique na imagem para ampliá-la)

Página do Colo-Colo no site da FIFA cita o Sul-Americano.
(Clique na imagem para ampliá-la)


O Site da CONMEBOL fala alguma coisa sobre o Sul-Americano?

Sim. Desde o primeiro semestre de 2013, após reformulação em seu site, a CONMEBOL possui uma página especial em que faz um resumo da origem da Copa Libertadores da América. Como não poderia deixar de ser, há um parágrafo mencionando a conquista vascaína. 



Por alguns anos tal informação não existia no site oficial da Confederação. No entanto, isso se devia a falta de uma página específica sobre a história da Libertadores. Há anos atrás, quando esta página existia, já havia menções sobre o título de 1948, como podemos ver graças ao site de recuperação de páginas www.archive.org/. Ou seja, não é de hoje que o título vascaíno é reconhecido pela CONMEBOL mesmo em seu site oficial. 



Antigo site da CONMEBOL cita o Sul-Americano como um torneio de enorme sucesso e que foi um torneio antecessor muito concreto.
 (Clique na imagem para ampliá-la)

FOTOS DO CAMPEONATO SUL-AMERICANO DE CLUBES CAMPÕES - 1948 



Lance de perigo na área do River Plate. O goleito Grizetti salta e segura a bola, acossado por Ismael e Friaça. Ao fundo, as arquibancadas lotadas. Foto: Netvasco



 Chico deixa o marcador para trás e fuzila Grizetti. (No detalhe, a bola por trás do goleiro argentino). Mas o gol que daria a vitória ao Vasco foi impugnado pelo árbitro sob a alegação de um impedimento que ninguém viu. Foto: Netvasco






Os campeões sul-americanos, em foto tirada antes do jogo Vasco 1 x 0 Emelec em 29/02/1948. Em pé: Augusto, Barbosa, Rafagnelli, Danilo, Jorge e Ely; agachados: Djalma, Maneca, Friaça, Lelé, Chico e o massagista Mário Américo. Foto: Netvasco







Jornal chileno reverencia o Vasco fazendo um trocadilho com o apelido do River Plate: "La Maquina fue Vasco" ("A Máquina foi o Vasco"). Foto: Netvasco 
 
 




  O time vascaíno, com suas devidas faixas de campeões sul-americanos invictos.
 
 





 Os cinco jogadores, entre eles Ademir Menezes, posam para uma foto em campo.






O time posa para uma foto poucos minutos antes de disputar a partida contra o Emelec.






Mais uma partida memorável do Vasco no Sul-Americano de 1948.







Vasco atacando e botando terror nas defesas adversários. Cena bastante comum neste torneio.



A Taça América del Sur, também conhecida como Troféu Condor, que há 63 anos repousa em São Januário. Foto: Netvasco










 

7 comentários:

  • Fiz um trabalho de pesquisa parecido alguns anos atrás , mas achaste coisas que não encontrei e consegui algumas coisas que não estão aqui, como na parte que diz que no exterior pouco se sabe sobre a competição eu discordo, tenho prints de matérias da imprensa norte americana e de muitos, mas muitos sites europeus principalmente fazendo sempre citações sobre o sul americano de clubes campeões de 48 ter inspirado a criação da Uefa champions league devido à seu enorme sucesso.
    Vale lembrar que a incrível média de quase 40 mil torcedores por jogo é a maior ja registrada em qualquer competição Sul americana feita pela conmebol ou por qualquer federação nacional a ela subordinada.
    ótimo blog com detalhamento incrível. abraço .

  • Hoje em dia os cariocas não conseguem nem disputar uma Libertadores e a ultima vez que venceram foram em 1998 já faz muito tempo e o futebol nos outros Estados evoluiu tanto que Minas e o Sul tem mais Libertadores que o Rio de Janeiro essa é a verdade.

  • Hoje em dia os cariocas não conseguem nem disputar uma Libertadores e a ultima vez que venceram foram em 1998 já faz muito tempo e o futebol nos outros Estados evoluiu tanto que Minas e o Sul tem mais Libertadores que o Rio de Janeiro essa é a verdade.

  • Muito massa, parabéns pelo trabalho..! Se o Vascão depender da "mídia nativa" para divulgar seus feitos e glórias estará perdido. Isso é sociologicamente explicado. Os donos da mídia pertencem a essa mesma elite cheirosa que tem em seu DNA resquícios da formação escravagista do Brasil e o Vasco da Gama, como todos nós sabemos, foi o primeiro clube a aceitar os negros como jogadores. Temos que nos orgulhar muito dessa ação de vanguarda dos dirigentes daquela época. Fraterno abraço à Nação vascaína...!

Postar um comentário

SUDERJ INFORMA: Público total

Seguidores

Modelo Alterado por Rafael Leon. Tecnologia do Blogger.

Leitores Online